O Projeto Cameratas da Orquestra Sinfônica da Bahia tem como objetivo criar oportunidades de apreciação musical com vistas à difusão e o acesso à música erudita e popular, contribuindo para a formação cidadã dos baianos. Para tanto, o Projeto possibilita o acesso gratuito dos mais diversos tipos de público a apresentações dos Grupos de Câmara da OSBA em locais alternativos da cidade como igrejas, associações comunitárias, museus, ONGs, hospitais, escolas das redes publica e privada, entre outros espaços. As apresentações tem caráter artístico e didático, e caracterizam-se pela execução de um repertório que mescla diferentes gêneros e estilos, intercaladas com a explicação sobre as obras, seus compositores, o período histórico em que foram criadas, entre outras abordagens.

Grupos de Câmara

OPUS LUMEN - Formado em 2001, o sexteto Opus Lúmen integra o projeto Cameratas Para Todos da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA). O grupo executa peças eruditas contemplando a música clássica, passando também pelo gênero popular de forma estilizada. Abrange públicos de qualquer faixa etária e/ou segmento social, diversificando os locais de suas apresentações, destacando escolas, igrejas, órgãos comunitários em geral, instituições filantrópicas e de ensino superior. O grupo de câmara promove uma integração informal entre músicos e o público alvo, tornando estreita e didática a relação entre a música clássica e o funcionamento e o repertório apresentado.  

Formação atual da Opus Lúmen:
CLARINETE: Solamy Oliveira
OBOÉ: Gabriel Paes Marcaccini
FAGOTE: Ilza Cruz
TROMPA: Davi Britto
FLAUTA: Tota Portela (Antônio Carlos Portela)
PERCUSSÃO: Humberto Monteiro

BAHIA CORDAS - Formada por dois violinos, uma viola, um violoncelo e um contrabaixo, a camerata Bahia Cordas conta com a participação de músicos integrantes da Orquestra Sinfônica da Bahia. Fundada em março de 2007, seu repertório é bastante variado, desde a música barroca (Bach, Vivaldi, Pachelbel, Corelli), a música sacra e popular, até composições dos próprios integrantes da camerata, já tendo gravado junto com o conceituado violonista Mario Ulloa sua composição intitulada “Música para Beatriz’”. A camerata Bahia Cordas tem levado a música de concerto para escolas, entidades filantrópicas, igrejas, centros espíritas e hospitais.

Formação atual da Bahia Cordas:

VIOLINOS: Rogério Fernandes e Raul Bermudez 
VIOLA: Marcos Antonio Maciel
VIOLONCELO: Maurício Kowalski
CONTRABAIXO: Orley Francisco de Souza

QUADRO SOLAR - Tocar os Quartetos para flauta e cordas de A. W. Mozart e explorar o repertório para esta formação foi o que motivou a formação da camerata Quadro Solar, formada em 2001. Embora o termo “quarteto” seja associado, como gênero, a instrumentos de cordas, alguns compositores não se prenderam a esta formação padrão (2 violinos, viola e violoncelo), substituindo um dos violinos do quarteto de cordas por um piano ou um instrumento de sopro, como a flauta. Além de A. W. Mozart, G. Rossini, C. Bach, L. Boccherini e G. Gershwin fazem parte do repertório do grupo. Os integrantes da Quadro Solar são músicos da Orquestra Sinfônica da Bahia e têm em seus currículos experiência em diferentes trabalhos de câmara e como solistas. O grupo se apresentou em alguns projetos como “Porque Hoje é Sábado”, Projeto “Tocarte”, e no “X Festival de Música Instrumental da Bahia”.

Formação atual da Quadro Solar:  

VIOLINO: Mário Gonçalves

FLAUTA: Andréa Bandeira

VIOLONCELO: Tatiana Crilova

 

QUARTETO NOVO - Como o próprio nome já insinua, tem uma formação bastante diferente das "Cameratas" e/ou "grupos de câmara", pois possui dois instrumentos da família das madeiras e dois instrumentos da família das cordas. A flauta transversal e o fagote representam as vozes aguda e grave, respectivamente. O violoncelo e a viola, o diferencial criado por essa formação, facilita que os quatro instrumentos sejam facilmente distinguidos mesmo quando estão tocando juntos. Arranjos de "Carinhoso" e "Yesterday" estão lado a lado com o famoso quarteto de Mozart "Eine kleine nachtmusic" (Serenata Noturna), bastante conhecida pelo público em geral, fazendo com que este se aproxime mais da "Música de Concerto". Dvorak, Devienne, Eilenberg e Brahms, entre outros, completam o repertório bastante variado. O grupo tem recebido uma calorosa e alegre reação nos diversos lugares onde tem tocado, divulgando o projeto de música de câmara da OSBA.

Formação atual da Quarteto Novo:
FLAUTA: André Becker
VIOLINO: Margareta Cichilova
VIOLONCELO: Djalma do Nascimento
VIOLA: Paco Garcês